O guia da segurança nos elevadores

Veja tudo o que você precisa para garantir tranquilidade para os passageiros e segurança no elevador

Segurança é a palavra quando se fala de elevadores. Isso porque eles são os meios de transporte mais seguros do mundo, possuindo um nível consideravelmente baixo em relação ao número de usuários que transportam e viagens que realizam.

No entanto, mesmo tendo sido projetados para garantir a máxima proteção aos usuários, a segurança dos elevadores não fica só a cargo da engenharia.

Além dela, é fundamental que algumas medidas sejam adotadas e cumpridas à risca. E não para por aí.
Algumas atualizações nos elevadores podem ser fundamentais para proporcionar mais segurança, além de comodidade e tranquilidade.

Neste guia você poderá compreender pequenos gestos que, no dia a dia, ajudam a preservar o elevador e a segurança dos seus usuários. E, além disso, também vai entender mais sobre a importância das manutenções nestes equipamentos.

A garantia de que o elevador está em condições de ser utilizado

A pessoa responsável por garantir o bom funcionamento dos elevadores e da segurança dentro deles é o síndico. É ele quem cuida de todos os assuntos ligados ao tema, desde a definição das empresas que realizarão as manutenções até o agendamento das mesmas.

Esta função exige muito do síndico, por isso é muito importante manter a organização e compreender tudo o que é necessário para promover segurança e tranquilidade aos usuários de elevador.

Alguns cuidados são fundamentais, e precisam ser sempre objeto de interesse do síndico.

Manutenção sempre em dia

Esse é um dos fatores-chave para promover a segurança no elevador.
Isso porque é através das manutenções que são descobertas falhas e pontos que precisam ser corrigidos, muitas vezes de forma urgente.

Um erro básico e que não pode ser cometido é deixar as manutenções pra lá.

Ainda que os elevadores sejam extremamente seguros por si só, seu bom funcionamento depende das boas condições de sua estrutura. Portanto, analisar de forma recorrente seus circuitos e dispositivos é essencial.

Negligenciar as manutenções pode acabar resultando em elevadores com condições de uso inadequadas. E como consequência, acidentes podem acabar acontecendo.

Desse modo, cabe ao síndico prevenir que os elevadores cheguem nesse estado. Para tanto, garantir que as manutenções estejam em dia é uma das formas de garantir, também, o perfeito funcionamento dos elevadores.

Acompanhamento das manutenções

Vale ressaltar que também é importante que os síndicos acompanhem as manutenções e busquem compreender de forma mais aprofundada o universo dos elevadores.

É como se, por exemplo, o síndico contratasse uma empresa para fazer jardinagem. É necessário acompanhar o serviço para garantir que ele esteja sendo bem feito.

A tendência é que as manutenções fiscalizadas rendam melhores frutos e que os elevadores apresentem um funcionamento melhor.

Segurança no elevador: os tipos de manutenção

Além de acompanhar as manutenções também é importante saber qual é a mais adequada para cada momento.
Aqui você pode entender a diferença entre os tipos de manutenção, de um trecho retirado do nosso Guia de Manutenção de Elevadores.

1 – Manutenção Preventiva

Esse serviço de manutenção em elevadores é efetuado periodicamente para prevenir paradas ou falhas no equipamento. Tem o propósito de garantir a segurança dos usuários e preservar a vida útil do elevador.

É na manutenção preventiva que as engrenagens dos elevadores passam por limpeza. Todos os sistemas são lubrificados e sua programação é avaliada e corrigida se necessário.

Além de ser uma grande aliada da segurança, a manutenção preventiva também ajuda na economia. Isso porque elevadores inspecionados e programados corretamente gastam menos energia. E, além disso, a análise constante de todos os componentes reduz a chance de trocas de peças e gastos inesperados.

2 – Manutenção Corretiva

Esse tipo de manutenção é feito após a ocorrência de alguma pane no equipamento ou desempenho inferior ao que é esperado. Após a identificação do problema, é feita a restauração do componente que apresentou falha, para que o elevador volte ao seu estado produtivo.

Este tipo de manutenção é requisitado em caráter emergencial e em casos isolados.
Imprevistos podem acontecer a qualquer momento, mas normalmente, os problemas que a manutenção corretiva tem a função de resolver são resultado de uma frequência de manutenções preventivas abaixo do ideal.

3 – Manutenção Preditiva

É realizada através de intervenções já programadas, com base nos indicadores do equipamento. Esses dados são obtidos com supervisão e monitoramento do desempenho da máquina.

O serviço tem o objetivo de determinar de forma antecipada a necessidade de manutenções, eliminando desmontagens desnecessárias e aumentando a segurança de quem usa o elevador.

Ela pode ser confundida com a manutenção preventiva, mas elas têm, de fato, propostas diferentes.
A manutenção preditiva é, essencialmente, uma busca por possíveis falhas, defeitos e inconformidades em geral.

Por outro lado, a manutenção preventiva é responsável também pela limpeza de componentes dos elevadores, por exemplo, tendo uma abordagem mais completa.

Certifique-se de que as normas de segurança sejam cumpridas

As normas de segurança são indispensáveis para que acidentes não aconteçam — exatamente por isso, devem ser uma preocupação tanto de síndicos quanto de moradores.

Ao síndico, cabe a responsabilidade de espalhar avisos pelo condomínio esclarecendo quais são as principais medidas de segurança para a utilização do elevador.

Bem como para chamar à atenção aqueles que as descumprirem.

Além disso, caberá também ao síndico a verificação periódica dos itens de segurança, telefone de emergência e botões de alarme, para que se certifique de que estejam sempre em condições perfeitas de funcionamento.

E lembre-se de que as chaves de abertura para casos de emergência devem ser guardadas em lugares que possam ser facilmente acessados.

Os degraus de desnível entre o elevador e o andar também devem ser atentamente observados.

Essa diferença de nível poderá causar acidentes — além, é claro, de provavelmente indicar problemas ainda mais sérios.

Sempre que surgirem dúvidas a respeito da utilização e manutenção do elevador, contate um técnico especialista para te oferecer as orientações adequadas.

E, em casos de falta de energia ou travamentos do elevador, jamais tente resolver sem a ajuda do especialista. Toque o alarme e acione a empresa de manutenção.

Segurança no elevador em dias de chuva

Se você é síndico e quer saber como garantir segurança nos elevadores durante as chuvas, confira algumas dicas que podem ser úteis:

  • Instrua os passageiros a não pressionarem a botoeira com a mãos molhadas e a evitarem utilizar os elevadores em casos de oscilações de energia, principalmente se o local não possuir um gerador;
  • Oriente os usuários a não entrarem nos equipamentos com capas ou guarda-chuvas encharcados;
  • Caso tenha risco de inundação, certifique-se de que os elevadores sejam paralisados em andares mais altos, para que a água não os atinja;
  • Durante as oscilações, desligue a chave geral e deixe a casa de máquinas fechada, para evitar danos nos componentes eletrônicos;
  • Em casos de danos nos equipamentos, tome uma atitude rápida. Acione imediatamente a empresa que realiza manutenção dos elevadores no local.

O que fazer depois das chuvas

Você já viu o que fazer para proteger os elevadores e os seus usuários durante uma chuva, mas como proceder depois de a chuva passar?
Primeiramente, é fundamental avaliar se os elevadores se molharam. Em caso afirmativo, é preciso realizar a sua secagem, conforme as orientações do técnico de manutenção. Em sequência, suas partes vitais precisam ser analisadas, como a casa de máquinas.

Depois de garantir que não há riscos de danificar os equipamentos ou de algum incidente acontecer, os elevadores podem ser religados e voltar ao seu uso normal.

Cuidados básicos para manter a segurança no elevador

Além dos cuidados com elevadores durante e depois da chuva, existem algumas colaborações diárias que são fundamentais para o bom funcionamento do equipamento e para a segurança dos passageiros que envolvem água.

Escorrer o excesso de água de capas e guarda-chuvas, por exemplo, pode parecer uma tarefa óbvia, mas faz toda a diferença na conservação da máquina.

Do mesmo modo, a dica é evitar derrubar água ou quaisquer líquidos no equipamento. Isso porque ele possui componentes elétricos, que podem ser danificados em contato com a água, mesmo que em pequena quantidade.

A segurança no elevador faz parte do dia a dia 

O elevador é um equipamento que exige cuidado diariamente.

Além das manutenções, que são cuidados mais intensos, existem cuidados cotidianos que ajudam a garantir a segurança no elevador, tanto para os usuários quanto para os equipamentos.

Por isso, separamos um compilado de dicas para te ajudar a manter a vida útil dos seus equipamentos e a tranquilidade a todas as pessoas que utilizam-no.

Cuidados diários

Como síndico, é importante que você oriente os usuários dos elevadores sobre as boas práticas nos equipamentos e também sobre o que não deve ser feito. Abaixo estão alguns exemplos do que é preciso evitar:

  • Puxar a porta do pavimento sem a presença da cabine no andar;
  • Apressar o fechamento das portas;
  • Apertar várias vezes o botão de chamada;
  • Chamar vários elevadores ao mesmo tempo;
  • Fumar dentro do elevador;
  • Movimentos bruscos dentro do elevador;
  • Lotar o elevador com o peso acima do permitido;
  • Bloquear o fechamento das portas com objetos;
  • O excesso de lotação e de carga é perigoso e acarreta desgaste prematuro do equipamento.

Atenção com as crianças

Além do que é responsabilidade de todos, a grande maioria dos condomínios e edifícios contam com crianças. Por isso, existe também uma série de recomendações para que os síndicos orientem os pais, para que estes ajudem a garantir a segurança nos elevadores, evitando que elas prejudiquem o seu funcionamento e sofram acidentes.

O elevador não é lugar de brincadeiras, portanto as recomendações para as crianças são:

  • Não acionar os botões desnecessariamente;
  • Não dar pulos ou fazer movimentos bruscos dentro da cabine;
  • Nunca colocar as mãos na porta;
  • Não entrar primeiro no elevador, assim que a porta se abre;
  • Evite que elas usem o elevador sozinhas;
  • Exija da empresa de conservação que o acesso à porta do elevador seja bloqueado quando ele estiver em reparos ou revisão técnica.

Além disso, as crianças com menos de 10 anos de idade precisam ser acompanhadas por um adulto ao utilizarem o elevador. Não só para garantir que elas não façam o que não devem, mas também porque em algumas situações elas não teriam capacidade de manter a calma, como no caso de travas e falhas do elevador.

segurança no elevador

Os acidentes mais comuns e como evita-los

Alguns acidentes possuem mais chance de acontecer do que outros. Isso acontece a partir da união entre a falta de manutenção e atitudes equivocadas tomadas por passageiros.

Por isso, separamos alguns deles para demonstrar porque eles ocorrem e como eles podem ser evitados.

As portas do elevador

A maior parte dos acidentes em elevadores está relacionada às portas, mais especificamente quando elas estão se fechando.
Isso pode acontecer por uma série de motivos, mas a falta de manutenção ou uma manutenção mal feita são os principais. Nesse caso, as portas podem estar se fechando antes do esperado, surpreendendo os passageiros ou também fechando rápido demais.

Portanto, é de suma importância de que o síndico esteja atento ao funcionamento das portas e contate a empresa responsável pelas manutenções caso detecte inconformidades.

Resgates realizados por leigos

Ficar preso em um elevador pode ser uma péssima experiência, mas a pressa para “escapar” pode resultar em algo ainda pior.
Outro dos acidentes mais comuns em elevadores é causado pela tentativa de resgate de passageiros presos por pessoas não especializadas.

Esta prática é tão perigosa para quem está sendo resgatado quanto para quem está resgatando. Desse modo, o resgate só deve ser realizado por um técnico habilitado ou pelo corpo de bombeiros.

O grande perigo nestes casos está na possibilidade de resgatante ou resgatado caírem no vão entre o elevador e o pavimento, caso ele esteja parado entre dois andares.

Este perigo também deve ser levado em conta no exemplo a seguir.

Cabine e pavimento desnivelados

Em elevadores mal inspecionados este é um mal comum.
A cabine do elevador acaba ficando acima ou abaixo do nível do pavimento do andar, causando grande risco de quedas.

O risco principal neste caso é a possibilidade do passageiro acabar caindo no vão entre a cabine o piso, no poço, podendo resultar em um acidente fatal.
Por isso, é importantíssimo checar sempre se, ao abrir das portas, o elevador encontra-se de fato no lugar em que deveria.

Este é um recado sempre presente nos elevadores e nos pavimentos, mas que também pode ser reforçado pelo síndico.

Limite de peso excedido na cabine

Vivemos em um mundo dinâmico e muitas vezes apressado. Há quem não possa (ou não queira) esperar mais um pouco até o próximo elevador chegar ou voltar e acaba se apertando no meio dos outros passageiros.

As chances de um elevador cair são muito baixas. Mas ainda assim, exceder sua capacidade máxima não é uma boa ideia.
Este excesso pode causar a parada do elevador, gerando um grande desconforto para todos lá dentro.
Portanto, respeitar as indicações de lotação e peso do elevador é fundamental.

Informação + bom senso = segurança no elevador

Como em muitos aspectos da vida, a união de informações relevantes e do bom senso acaba rendendo bons frutos. E com a segurança no elevador não é diferente.

Portanto, utilizar o conhecimento e manter boas práticas podem ser fatores-chave para que os usuários dos elevadores no seu condomínio tenham tranquilidade para utilizar o equipamento.

Também pensando nisso, disponibilizamos uma cartilha de segurança completa, onde você pode ver em detalhes 74 melhorias que podem ser implementadas para reduzir os riscos ligados aos elevadores. Você pode fazer o download desta cartilha aqui!

Se você gostou deste texto compartilhe-o com seus colegas síndicos! E se quiser conhecer mais sobre a Crel Elevadores, acesse o nosso site!