Como surgiu o elevador?

Conheça a história do equipamento e entenda como surgiu o elevador

O elevador é um equipamento prático e tecnológico que nos ajuda em diversas tarefas, otimizando o tempo que gastaríamos ao subir e descer escadas. Mas, você sabe como e quando ele surgiu?

É justamente sobre isso que queremos falar hoje.

Como surgiu o elevador

De acordo com registros históricos, em 1500 a.C os egípcios já utilizavam uma espécie de elevadores rudimentares para transportarem água, com ajuda de homens e animais. No entanto, o primeiro elevador foi construído em Roma, no século I a.C, por um engenheiro chamado Vitrúbia. Foi ele quem criou equipamentos que subiam e desciam a partir de um conjunto de roldanas, movidos também por força humana e animal.

O primeiro sistema de segurança, que impedia a queda do elevador em caso de rompimento das cordas, foi criado pelo americano Elisha Grave Otis em 1853. Ao passo que era baseado em trilhos serrilhados que prendiam a plataforma caso ela perdesse a sustentação. No entanto, os primeiros elevadores eram muito lentos e para alcançar o oitavo andar, por exemplo, levava mais de dois minutos. Hoje, alguns elevadores chegam a atingir a velocidade de 550m/m, ou seja, são 45 vezes mais rápidos que seus antecessores.

Painel de elevador mostrando acionamento para cima, texto da história do elevador

No Brasil, os elevadores começaram a ser fabricados em 1918. O cabineiro, que girava uma manivela, era o responsável por fazer o elevador subir ou descer. Naquela época, as portas eram abertas e fechadas manualmente. Aos poucos, com a construção de edifícios cada vez maiores, o transporte com manivela foi substituído por opções elétricas mais complexas. Dispensando assim o serviço dos cabineiros. De lá para cá, muita coisa mudou e hoje os equipamentos estão cada vez mais modernos. Acima de tudo, oferecendo segurança e conforto para os usuários.

Confira como foi a evolução do equipamento:

Linha do tempo

100 a.C

Um desenho em uma tumba romana apresenta a mais antiga imagem de um guindaste movido a moinho humano. O sistema tinha polias e era operado por cinco trabalhadores.

1853

Esse foi o ano em que os primeiros elevadores surgiram movidos por máquinas a vapor. Os cabos se enrolavam em grandes tambores, sua operação exigia um operar treinado e a movimentação das portas era feita de forma manual.

2000

Os elevadores mais modernos chegaram com tudo e passaram a empregar programas de inteligência para lidar com grandes fluxos de pessoas. Além dos motores serem menores, funções tecnológicas começara a surgir para garantir a segurança e o conforto dos passageiros.

A modernização nos elevadores

Divididas em três setores principais, as modernizações podem ser estética, técnica ou tecnológica. São elas que ajudam os elevadores a, não só parecerem mais agradáveis, mas melhorarem sua função de fato.
Mesmo com toda a evolução tecnológica que estamos acompanhando ultimamente, muitos elevadores que ainda atuam foram produzidos há bastante tempo, com os recursos da época.

Deste modo, as modernizações se fazem importantes e uma excelente saída para quem quer contar com elevadores atualizados mas não pretende troca-los.

Conheça, em detalhes, cada tipo de modernização.

Modernização Estética

Este tipo de modernização tem como objetivo deixar o elevador ainda mais bonito. Nela, aspectos visuais dos equipamentos são modernizados e substituídos, como as cabines, botoeiras e painéis, por exemplo.

Cabines 

São redesenhadas a partir do que há de mais atual. O piso, subteto, paredes e espelho, podem passar por alterações de cor e desenhos.

Botoeiras

São substituídas por modelos de botão feitos de aço inox. Podem ser ativados por micro movimento, se tornando mais fáceis de usar, além de contarem com sinalização digital no painel e com um aspecto mais moderno.

IPD Digital

O Indicador de Posição Digital, que é instalado na botoeira dos elevadores, além dos pavimentos e andares. Agrega valor ao elevador e edifício, além de promover uma melhor experiência aos usuários, com uma sinalização mais prática e atual.

Portas

As portas também podem ser modernizadas, sendo substituídas pelas automáticas. Elas passam a ter um acabamento com mais qualidade e requinte.
Para elevadores com portas de eixo vertical a modernização das portas também é possível. Neste caso, as portas são revestidas com fórmica ou aço inox, e passam a contar com um sistema de visor puxador mais atual.

Teto e piso 

O piso pode ser alterado para materiais como granito, paviflex ou material vinílico com várias opções de cores. Desse modo, o visual dos elevadores se renova consideravelmente.
No caso do subteto, também existem possibilidades de modernização. Eles são solicitados de acordo com a necessidade e intenção de cada cliente.

Modernização Técnica

Neste tipo de modernização alteram-se aspectos “invisíveis” aos usuários. São os componentes responsáveis pelo funcionamento do equipamento.
Ela é considerada o principal tipo de modernização, já que auxilia os edifícios e condomínios a se manterem adequados às normas e demais exigências.

Renovação de componentes

Elas acontecem quando o técnico responsável pelo elevador identifica que algum componente já não rende mais como deveria e que não há manutenção que o possibilite recuperar sua performance. Com ela, as viagens se tornam mais confortáveis e silenciosas.

Preservação da vida útil

Ao modernizar os elementos técnicos dos elevadores, sua vida útil aumenta. Isso se deve ao fato de a tecnologia das novas peças acabar melhorando sua efetividade, exigindo menos energia e “esforço” das máquinas.
Assim, um elevador modernizado passa a funcionar de forma mais eficaz e sustentável.

Modernização Tecnológica

A modernização tecnológica, por sua vez, adiciona aos elevadores sistemas inteligentes, como biometria e resgate automático.

Biometria

Promove maior segurança interna no condomínio, já que apenas aqueles que estão cadastrados podem utilizar os botões. Esse cadastro pode ser feito através de biometria, chaveiro de proximidade ou senha. Neste sistema, é possível cadastrar moradores, visitantes e funcionários.
Além disso, a biometria também conta com a função “dedo do pânico”. Nessa função o usuário cadastra um outro dedo, que deve ser utilizado apenas em situações de perigo.

Sistema Inteligente

O chamado Sistema DDS programa de maneira inteligente os itinerários que devem ser cumpridos pelos elevadores. Ele é capaz de traçar as melhores rotas, evitando com que os usuários esperem demais pelos elevadores e também que eles parem em andares indesejados.

Sistema regenerativo

É capaz de realimentar a rede elétrica do prédio através da energia em forma de calor. Em outros elevadores, essa energia é desperdiçada.
Desse modo, lâmpadas, ares-condicionados e até mesmo outros elevadores utilizam essa energia. Seu principal benefício é gerar economia no edifício, que pode chegar até a 75%, quando comparado aos sistemas comuns.

Sistema de resgate automático

Com ele, o elevador é levado ao andar mais próximo em casos de queda de energia. Então, as portas se abrem, e os passageiros são liberados, evitando com que eles passem pela má experiência de ficarem presos. Além disso, através de sensores e receptores, o elevador mantém a nivelação adequada com o pavimento, garantindo um desembarque mais seguro e tranquilo aos passageiros.

Dentre os principais benefícios da modernização estão:

  • Maior segurança e conforto para os usuários;
  • Melhoria do tráfego, deixando as viagens mais rápida e ágil, com redução de tempo de espera;
  • Reduz os custos na manutenção dos equipamentos, pois componentes mais modernos sofrem menos desgastes mecânicos;
  • Proporciona economia no consumo de energia por conta de recursos mais sustentáveis;
  • Valoriza o local pela estética dos equipamentos e inovações apresentadas por eles.

Para saber mais informações sobre os serviços que oferecemos acesse o nosso site. Caso precise de algum de nossos trabalhos, você também pode entrar em contato através do telefone (11) 3345-0000.