Tipos de manutenção para elevadores: quais existem e quando fazer

Análises preventiva e corretiva são fundamentais para o bom funcionamento. 

Com apartamentos e prédios cada vez mais altos, os elevadores acabaram se tornando essenciais em nossa rotina. Sem eles, teríamos que subir muitas escadas e, além do cansaço, correríamos o risco de atrasos, por exemplo.

O equipamento, que tem a finalidade de transportar pessoas e até mesmo cargas, subindo e descendo, é muito importante. Por isso, ele precisa ser vistoriado periodicamente, para que funcione de forma segura e adequada.

Por esta razão, a manutenção em elevadores é tão valorizada e fundamental. Ela é essencial para que os sistemas de transmissão, cabos de aço, freios de emergência e todos os demais componentes de um elevador sejam devidamente avaliados.

As atividades de manutenção em elevadores são necessárias para garantir a segurança operacional e a vida útil do equipamento. Elas existem para evitar a degradação do elevador, que pode ser causada pelo desgaste natural, e para corrigir algum erro de desempenho que possa oferecer algum tipo de risco para os passageiros.

Para ter um serviço especializado e de qualidade, é indicado procurar e compreender a especificidade de cada equipamento. Dessa forma, é possível saber com qual periodicidade ele deve receber manutenção e quais pontos exigem mais atenção. No entanto, indica-se que o elevador deve ser analisado no mínimo uma vez por mês, para garantir que tudo está em dia.

Conheça os tipos de manutenções para elevadores:

1 – Manutenção Preventiva

Esse serviço de manutenção em elevadores é efetuado periodicamente para prevenir paradas ou falhas no equipamento. Tem o propósito de garantir a segurança dos usuários e preservar a vida útil do elevador.
É na manutenção preventiva que as engrenagens dos elevadores passam por limpeza. Todos os sistemas são lubrificados e sua programação é avaliada e corrigida se necessário.
Além de ser uma grande aliada da segurança, a manutenção preventiva também ajuda na economia. Isso porque elevadores inspecionados e programados corretamente gastam menos energia. E, além disso, a análise constante de todos os componentes reduz a chance de trocas de peças e gastos inesperados.

2 – Manutenção Corretiva

Esse tipo de manutenção é feito após a ocorrência de alguma pane no equipamento ou desempenho inferior ao que é esperado. Após a identificação do problema, é feita a restauração do componente que apresentou falha, para que o elevador volte ao seu estado produtivo. Este tipo de manutenção é requisitado em caráter emergencial e em casos isolados.
Imprevistos podem acontecer a qualquer momento, mas normalmente, os problemas que a manutenção corretiva tem a função de resolver são resultado de uma frequência de manutenções preventivas abaixo do ideal.

3 – Manutenção Preditiva

É realizada através de intervenções já programadas, com base nos indicadores do equipamento. Esses dados são obtidos com supervisão e monitoramento do desempenho da máquina. O serviço tem o objetivo de determinar de forma antecipada a necessidade de manutenções, eliminando desmontagens desnecessárias e aumentando a segurança de quem usa o elevador.
Ela pode ser confundida com a manutenção preventiva, mas elas têm, de fato, propostas diferentes.
A manutenção preditiva é, essencialmente, uma busca por possíveis falhas, defeitos e inconformidades em geral. Por outro lado, a manutenção preventiva é responsável também pela limpeza de componentes dos elevadores, por exemplo, tendo uma abordagem mais completa.

tipos de manutenção para elevadores

O que a lei diz sobre as manutenções?

No que diz respeito à manutenção de elevadores, a ABNT é a responsável por ditar as orientações e exigências que devem ser seguidas. Isso porque, todo elevador, seja em ambiente comercial ou residencial, deve seguir um padrão de segurança.
Mesmo com a atuação nacional da ABNT, cada município define a sua legislação.
A cidade de São Paulo, por exemplo, criou a Lei n.º 10.348, em 1987. E desde então, a lei é atualizada quando necessário.
De forma geral, todas as cidades se baseiam na norma da ABNT. É ela a responsável por definir critérios de manutenção e verificação de funcionalidades.

Além de seguir a legislação do município, os equipamentos precisam ter um alvará de funcionamento, e também contar com uma empresa regularizada para realizar todos os tipos de manutenção para elevadores. Ainda citando São Paulo como exemplo, a cidade também requer que a empresa responsável pela manutenção dos elevadores esteja credenciada no SEGUR, através do decreto 52.340/11. O SEGUR é o setor responsável por elevadores e outros utensílios de transporte.

Desmistificando a manutenção de elevadores

Quando o assunto é manutenção, alguns mitos podem acabar surgindo.
Muito se fala sobre o tema, por isso é importante sanar as dúvidas e desmistificar algumas falas acerca dele.

Muitas pessoas acreditam que apenas a empresa fabricante dos elevadores pode realizar a manutenção nos mesmos. Porém, isso não é verdade.
Depois do fim da garantia, o edifício pode escolher a empresa que quiser para a realização dos serviços, desde que ela se enquadre em todos os requisitos legais estabelecidos. Eles são, geralmente, possuir concessão da prefeitura e do CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia).

Outro mito que, ao ser superado pode gerar economia, é de que todo contrato de manutenção deve incluir as peças de reposição.
Na verdade, é possível estabelecer contratos mais básicos, onde o condomínio arca com os custos de mão-de-obra.
Caso haja a necessidade, o condomínio tem a autonomia de adquirir as peças com o fornecedor que quiser, podendo chegar a melhores preços.

Elevadores diferentes, necessidades diferentes

Apesar de os procedimentos de segurança serem unificados, bem como as normas que os guiam, cada equipamento tem sua particularidade e pode precisar de tipos de manutenção para elevadores distintos.
Por isso, é fundamental que a empresa que realizará a manutenção nos seus elevadores de fato os conheça. Desde o modelo até as características mais específicas.

Como características específicas podemos compreender tempo de uso, frequência de uso diário, eventuais problemas que o elevador já tenha apresentado, etc
Além disso, é importante também conhecer a estrutura do edifício, física e elétrica, bem como o modo de uso dos passageiros.
Desse modo, todos os tipos de manutenção para elevadores citados até aqui, serão mais certeiros e eficazes.

Manutenções com a Crel

Realizamos os serviços de manutenção em elevadores e para isso contamos com uma equipe pronta para atender com agilidade, eficiência e muita responsabilidade.

Em nossas visitas avaliamos todos os componentes de segurança dos elevadores, de acordo com os equipamentos determinados em contrato. Realizamos a troca de peças quando necessário, além de garantir o melhor funcionamento das máquinas, prevenindo imprevistos e promovendo segurança.

Com a Crel você pode optar pelo contrato de conservação ou pelo contrato de manutenção integral. A diferença entre eles é, justamente, a inclusão de peças de reposição no serviço contratado. Ambos, porém, contam com assistência técnica 24 horas por dia e visita mensal com manutenção preventiva.

Se você precisa de algum destes tipos de manutenção para elevadores, entre em contato com a nossa empresa e saiba como podemos solucionar o seu problema.