Modernização de elevador: é hora de fazê-la?

O elevador é um equipamento quase que essencial nos prédios, devido à sua praticidade, velocidade e conforto. Considerado o meio de transporte mais seguro do mundo, é preciso realizar a manutenção e modernização de elevador para prolongar sua vida útil.

O que é a modernização de elevador?

A modernização de elevador acontece em três situações: estética, técnica e tecnológica. Como tudo, o elevador também evoluiu e se moderniza ao longo do tempo. Esta modernização acontece de acordo com a necessidade de seu condomínio, mas é indicada que seja feita para que a vida útil do equipamento seja prolongada

Elevador moderno com vista panorâmica

Quando se deve modernizar?

Para saber quando é necessário modernizar seu elevador, mensura-se tempo e frequência de utilização. É possível ver modelos instalados 50 anos atrás em perfeito funcionamento, enquanto alguns com 10 anos de instalação já apresentam sinais de necessidade da troca. Estes sinais são:

  • Frequência de manutenção aumenta, e são feitas muitas trocas em períodos curtos;
  • Os barulhos aumentam e viram rotineiros;
  • Apresenta interrupções de serviço constantemente e
  • Aumenta o consumo de energia.

Ainda existem os casos de adequação às normas da ABNT de segurança.

Vamos conhecer os tipos de modernização de elevador?

Estética

Na modernização estética, alteram-se os itens dentro da cabina: piso, porta, corrimão e teto. Isso traz uma aparência renovada e combina design e conforto, harmonizando com os detalhes arquitetônicos do prédio.

Técnica

Apesar de ser a parte que não vemos no elevador, a modernização técnica talvez seja a mais importante. Responsável por adequações às normas, ela traz segurança para todos os usuários e economia de até 70% para o condomínio em até dois anos. Um exemplo são os serviços na máquina de tração, responsável pelo tracionamento mecânico da cabina e contra-peso.

Tecnológica

A modernização tecnológica é considerada um requinte para seu elevador. Ela não é obrigatória, mas quando feita, proporciona melhorias na utilização. Como resultado a longo prazo, pode causar um menor dano em seus componentes. O sistema regenerativo é um exemplo, pois em vez de desperdiçar energia na forma de calor, eles alimentam a rede elétrica interna dos condomínios, podendo ser reutilizada.